mao.jpg

 

NOTA DE EDIÇÃO:

 

A pedido da "FREGUESIA" aqui estou a "postar" mais uma vez. Tenho pena de não puder vir aqui mais vezes ou comentar os vossos blogs mas acontece que ao contrário de muitos de vós estou cheia de trabalho. Em breve talvez possa dar-vos mais informações sobre esta minha sobrecarga de trabalho. Aguardem para ver. Beijos grandes (e no coração) para todos . 

 

Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado. Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos, com os livros atrás a arder para toda a eternidade. Não os chamo, e eles voltam-se profundamente dentro do fogo. -Temos um talento doloroso e obscuro. Construímos um lugar de silêncio. De paixão.

 

Herberto Helder

 

Ao "Manel"

 

 

"Já nem me lembro bem quando e onde te conheci. Talvez tenha sido quando ainda no ventre de minha mãe tinha sonhos bonitos. Ou mesmo antes, quando vivíamos ainda no mundo das essências de Platão. Só sei que te conheci e pronto. A partir daí foi impossível voltar atrás. Quando existem buracos ou fendas nos meus caminhos lá estás tu sempre disposto a cobri-los de pétalas de rosa. Escutas os meus pensamentos e às vezes recontas-mo-los de uma maneira mais lógica, mais viável e ainda mais a meu gosto. És o que sorri e que sabe transformar sorrisos em conselhos bons e momentos de magia. És o ilusionista perfeito. O ilusionista da minha alma. Tornas especiais os meus momentos mais banais e vazios. Basta a tua presença, o teu olhar doce a tua voz calma e confortante para sentir vontade de avançar e lutar por mim. Já me partilhei tanto contigo como comigo própria. Talvez por isso não saiba dizer onde é que eu acabo e tu começas. É que sabes, já fazes tão parte de mim que me é difícil conseguir separar-nos como dois corpos autónomos. Obrigada AMIGO por existires e por mesmo estando longe, estares SEMPRE aqui"...

 

 

Maria Lua

publicado por MariaLua às 12:48