A.jpg

 

 

 

...Às duas por três quando damos por nós estamos perdidos no caos do mundo e sem saber que rumo tomar. Ai as palavras, os gestos e as emoções amontoam-se como roupa suja que por vezes temos preguiça de lavar (...) e então o nosso túnel já frio, lúgubre e húmido torna-se ainda mais comprido e sem luz à vista e os anos vão passando e as máscaras usadas são cada vez mais necessárias e chega um altura em que nos interrogamos se teriam sido as mais correctas e as que nos identificavam mais e sobretudo se VALEU A PENA (...) Vivemos num mundo de perguntas e respostas sem resposta com uma linha interminável de gente à procura de sorrisos, de fogueiras, de canções e de ser feliz mas cada vez mais virando-se de costas uns para os outros (...) Pior do que isso é o facto de o fazermos connosco próprios e ficarmos assim mais perdidos a cada dia que passa neste mundo de gelo. E o Pânico vem de mansinho como se fosse uma teia que nos entrava a alma e nos deixa sem respostas... E por mais palavras que se escrevam nunca teremos solução para o caos nem para o tempo todo que já vivemos (...) À medida que vamos crescendo por dentro o nosso mundinho vai-se tornando cada vez maior e então vêem as desconfianças e os vazios e as mordaças....

 

MariaLua

 

publicado por MariaLua às 15:09