ESTORIAS DE LUA

pesquisar

 
Quinta-feira, 08 / 07 / 04

Tudo poderia ser meu para sempre

 

Buzio.jpg

 

 

E em homenagem à recém "viajada" Sophia de Mello Breyner Andresen um trecho ( que acho ter tudo a ver ) retirado de uma obra de seu filho. Deixo-o convosco com um beijo grandeeee e uma flor.

 

Maria Lua

 

... E arranquei a página da agenda com o teu nome e o teu número de telefone.  Veio a seguir Abril e depois o Verão. Vi nascer a flor da tremocilha e a das buganvílias adormecidas, vi rebentar o azul dos jacarandás em Junho, vi noites de lua cheia em que todos os animais nocturnos se chamavam rãs, corujas e grilos e um espesso calor sobre a devassidão da cidade. E já nada disto juro, era teu.

E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter.
Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes.  Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito que para sempre ouviremos o som da água no rio onde tantas vezes mergulhámos a cara, para sempre passaremos pela sombra da árvore onde tantas vezes parámos, para sempre seremos a brisa que entra e passeia pela casa, para sempre deslizaremos através do silêncio das noites quietas em que tantas vezes olhámos o céu e interrogámos o seu sentido. Nisto eu acredito: na veemência destas coisas sem princípio nem fim, na verdade dos sentimentos nunca traídos.
E a tua voz ouço-a agora, vinda de longe, como o som do mar imaginado dentro de um búzio. Vejo-te através da espuma quebrada na areia das praias, num mar de Setembro, com cheiro a algas e a iodo. E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo poderia ser meu para sempre.

Miguel Sousa Tavares, in Não te deixarei morrer David Crockett - Eternamente

 

 

publicado por MariaLua às 22:20
Quinta-feira, 08 / 07 / 04

100 dimensões

 

var_reddoor.jpg

 

 

 

 Imagem "roubada" à Marciana (obrigada!!!)

 

 

 

A Beleza "esconde-se" muitas vezes atrás das coisas pequenas (...) Que o vosso dia seja cheio de sol e de "coisinhas" de fazer sorrir...

 

 

 

           Maria Lua

 

 

 

  

 

Coisas pequenas são

 

 

 

Coisas pequenas

 

São tudo o que eu te quero dar

 

e estas palavras são, coisas pequenas

 

que dizem que eu te quero amar

 

Amar, amar, amar

 

só vale a pena

 

se tu quiseres confirmar

 

que um grande amor não é, coisas pequena,

 

 

que nada é maior que amar.

 

  

(Pedro Ayres Magalhães)

 

 

publicado por MariaLua às 00:42
Este é o lugar dos Contos e das imagens. Aqui estará SEMPRE no mundo da "Lua" onde é obrigatório SENTIR. Seja bem Vindo!

mais sobre mim

pesquisar

 

Julho 2004

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
16
18
20
22
23
24
25
26
27
29
30
31

últ. recentes

mais comentados

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro